sexta-feira, março 24, 2017

Injecto-me


Injecto-me  
Injecto-me com liberdade. 
Esse soro mágico a que poucas mentes têm acesso. 
O de não julgar, o de não ver a sociedade com olhos banais e comuns "Normal"
 Detesto o termo "normal", não existe. Fui injectada com liberdade de pensamentos, não foi preciso tatuar umas asas nas costas mas sim, há uma tatuagem a caminho, há em mim uma raiva contra maus-tratos e um "cagar e deixar andar" que me sabe bem.É até ao dia em que apanhar a overdose de liberdade e gritar que chega ou não gritar e deixar o meu silêncio, o meu rasto, o meu cheiro. Eu mando em mim, eu tenho as minhas atitudes incorrectas e pago bem caro pelas mesmas, mas, lembrem-se eu mando em mim, na minha liberdade de expressão. Outras injecções bem boas: de gargalhas, de amor, de serenidade, de realização pessoal, de cultura, de novas amizades e boas conversas.. 



Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

2 comentários:

  1. HUMMMM..Poison..injentas-me com muita vitamina..de nome T...HUMMMM ;)
    Beijos VORAZES

    ResponderEliminar
  2. Apesar de não gostares de mim, o que me magoa, deixei-me injectar por esse teu soro mágico!

    Um beijo

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.