terça-feira, fevereiro 14, 2017

Do medo

Um dia disseram-me, num tom mais sério, quando aquele tema era sempre debatido em brincadeira:
"Não sei qual é o teu medo."
Congelei e não respondi.
Fugi. Até hoje.



Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

2 comentários:

  1. dessa não estava à espera: fugiste?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fingi que não ouvi e nunca mais se falou "daquilo"...

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.