quinta-feira, novembro 03, 2016

Sexo oral e as primeiras civilizações


"Os faraós casavam cedo. Quando morreu aos 19 anos, o jovem Tutancâmon já tinha esposa. O pai de Ramsés lhe arranjou uma esposa e duas concubinas quando ele fez 15 anos.
A vida sexual do faraó – que era visto como um elo entre os seres humanos e os deuses – era de suma importância para o povo, que acreditava ter sido o mundo criado pelo sexo. Segundo a mitologia local, o deus Aton teria se masturbado e seu sêmen dado origem aos primeiros seres divinos. Numa cerimônia anual, o faraó masturbava-se para a água para garantir a fertilidade do rio Nilo.
O sexo oral era aceito com normalidade no antigo Egito. O registro mais antigo vêm justamente de lá e trata da ressurreição do deus Osíris, que teria sido morto e esquartejado pelo irmão Seth. Segundo ele, Isís teria procurado os pedaços do deus na intenção de trazê-lo de volta à vida, mas não encontrou o pênis. Para resolver o problema, fez um órgão postiço e “soprou” a vida nele."

Chama-lhe soprar, chama rsrsrsrsrs



Sou a Pink Poison e sou única, cópias, existem imensas...

2 comentários:

  1. As lendas das origens do Egipto são espectaculares.
    Sobretudo a lenda de Isis...

    (que eu tive de procurar, rever, integrar e traduzir para o meu "Lilith")


    :)

    ResponderEliminar
  2. Tutankamon casou-se com sua meia-irmã Ankhesenamon, quando tinha 8 anos e ela por sua vez, 11 anos. Assumiram o trono quando ele estava com 14 anos e não tiveram descendentes, mas na tumba foram encontradas a múmia dos fetos de duas meninas, provavelmente filhas do casal e natimortas.
    BJOS

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.