sexta-feira, novembro 25, 2016

Sempre comigo

Chegas  e respiras fundo. Sinto que algo não está bem. Dizes não saber o que fazer com o que se está a passar e  eu sorrio. Abraço-te.
Cada minuto perto de ti é precioso, a Tailândia aproxima-se eu não irei ao combate. 
Dormimos na praia algumas vezes, sentia-me a pessoa mais segura perto de ti. Tinhas solução para tudo. 
Entre nós o sexo não era a urgência, conhecermo-nos era. Falámos, treinámos juntos, brincavas comigo por estar lenta na defesa...
Na verdade, aquela areia , até hoje, conta a história do amor que acabou quando um deles teve um tumor na cabeça. 
Na verdade, a reia foi testemunha que ela, ela jurou ser a última a mudar-lhe uma fralda. Prova de amor? Não, apenas amor e o lógico de quem está numa relação.
Depois, foram andar de carros de choque, como duas crianças e nunca mais se viram. Ele desapareceu, para sempre.





Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me... E se tentares, esmago-te!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.