quinta-feira, novembro 24, 2016

Ainda da falsa morte

QUEM SOFRE A MORTE DE UM IRMÃO, AMIGO CHEGADO, NÃO VEM ENFIAR OS CORNOS NO BLOG DO FALECIDO. UNE-SE À FAMÍLIA, AOS AMIGOS AOS PAIS, NÃO SE DESDOBRA EM POSTS, JUSTIFICAÇÕES, POEMAS, IMAGENS... 

Depois recebo isto! E o blogue do morto-vivo continua com o irmão a assinar com o nome do zombie e a fazer ameaças.
Eh pá!!!
E gozar com a morte dos vossos? Ou morrerem assim de verdadinha? Black Angel, ah e tal essa merda dos ip's, funciona e dá moradas e ihihih imagina tu não me venhas com merdas de ameaças, eu enviar-te um mail?
Eu vejo-te na missa de sétimo dia de uma morte mais anunciada que a presidência de Trump e tão verdadeira como as mamas de Pamela Anderson.



Sou uma força da natureza, não tentes destruir - me...

10 comentários:

  1. Também recebi! E como entrou desapareceu, que para mim é assunto encerrado!

    (embora não tenha sido eu a postar aquelas "estupidezes", peço-te imensas desculpas pelo facto, tal como pedi desculpas à Isabel, por aquilo se passar na caixa de comentários de um post meu!)

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ´Nada a pedir desculpa, eu também me passei quando me amam, amam mas depois ou logo puta... Fantástico a despromoção!
      Beijos Gil!

      Eliminar
  2. Também recebeste=? Também eras a rapariga que , se não fosses casada , davas para namorar?
    AH AH AH

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não o final era diferente! É copy paste do resto, mas o final é mais personalizado, pelos vistos...

      ...não sou propriamente material casadoiro!

      :)

      Eliminar
  3. Nem sei que diga, enfim!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz para eu te ir visitar que hoje ainda não fui <3

      Eliminar
  4. Os anónimos são uma espécie de Walking Dead, mas com efeitos especiais de segunda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes identificam-se pelo assunto. São pseudo-intelectuais que só falam em tertúlias. A televisão e as massas são démodé... (olha o que poupam:D)

      Eliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.