quinta-feira, abril 28, 2016

....Fuck


anda até mim
possui-me como se o amanhã fosse um capítulo encerrado
uma folha queimada do livro que é a vida!

 

Sou o que quiseres... quando eu quiser.

4 comentários:

  1. "Ando!
    Ando e te recebo para a construção
    De meu ontem.
    E te amarei amanhã e sempre
    Como se o futuro fossemos nós dois!!"

    Há tempos não escreves um poema assim tão intrigante!!!
    Estás de volta!! Estou feliz!!!

    ResponderEliminar
  2. És pouco fresca. és...

    :))

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.