segunda-feira, fevereiro 22, 2016

Dos começos

Existe sempre um receio quando tomamos a iniciativa de fazer algo novo. A ambição trava um pouco esse medo, no entanto, está lá, por todos temos medo do desconhecido. Entregamo-nos ao desconhecido e o desconhecido permite a entrada. Somos ingénuos, sorrimos muito, damos o que não nos pedem...
Quando, numa fase diferente, estamos capazes de dizer, "eu estou calma mas não se metam comigo"...
De novo se inicia o ciclo...
Pink sempre pronta a abraçar ou a esmagar alguém.


Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.