sexta-feira, janeiro 15, 2016

Afinal, continua ou não.

Há uns tempos atrás referi que trabalho com uma pessoa nada pontual. E que detesto a falta de pontualidade.
Tivemos uma conversa séria, se não existirem resultados positivos, não foi por falta de empenho da minha parte. A outra parte desculpou-se ( com as desculpas do costume)  mas continuamos a nossa relação profissional.
Tentou-se encontrar um "meio-caminho" para a falta de pontualidade. Sendo o que o meu há dias que tinha sido este: meia hora de atraso e não abro a porta nem atendo telefonemas.


Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.