sexta-feira, maio 15, 2015

Repeat #4

Vou a caminhar e entre as pessoas, sinto o cheiro da rotina, das conversas que nada valem para mim. Sinto que este mundo é pobre, não de dinheiro mas sim de sentimentos. Existem pequenos paraísos aos quais chamamos de casa. E lar? Temos. Cheira-me a horários, a dinheiro, a futilidades. Qual será o cheiro de união, calma, respeito por nós?
Leva-se muito tempo a aprendermo-nos a respeitarmo-nos e nem temos noção das vezes que não nos respeitamos: a nossa essência, os nossos valores, o nosso corpo, a nossa cultura.

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.