quinta-feira, maio 29, 2014

Não foi o vento

Não foi o vento nem foi o brilho das estrelas que me levou ao palco onde há muito não ia.
Para me purgar, para me extrapolar e para voltar a ser quem sou em cima do palco. A plateia, é a mesma, um mundo cheio de podres e pobres de espírito. A quem eu apenas desejo uma má vida e tortura para quem abandona animais, viola crianças, promove a violência, que ardam no inferno que Dante tão bem descreveu e vemo-nos lá.


Não sou superior, supero-me.

terça-feira, maio 27, 2014

São leves as quedas que se dá ao longo da vida, é pesada a nostalgia que nos invade que pesa, a tomada de decisões.
Os erros, esses que carregamos connosco e que insultam a nossa inteligência ... A nossa Alma podia ser tão mais leve mas depois era insustentável a sua leveza já dizia o autor.

Não sou superior, supero-me.