quinta-feira, março 28, 2013

Porque um dia foi bom

Porque um dia foi bom rir, chorara, ouvir receitas, risos e porque foi bom saber que existem ainda valores que se defendem...
Porque é sempre bom conhecer pessoas especiais...


Não sou superior, supero-me.

domingo, março 24, 2013

Em pecado, vida

Não existe a necessidade de dizer que peco.
Peco ou faço o que quero?
Ser fugidia, ser atípica, viajar todas as noites para tempos selvagens que não voltam.

Não sou superior, supero-me.

sexta-feira, março 22, 2013

Minha casa

A minha casa nunca poderia ser o coração de alguém. Não moro em ninguém, não sou de ninguém, sou do mundo e dos deuses gregos.

Não sou superior, supero-me.

terça-feira, março 19, 2013

Água que não é chuva

No meu palco a noite começa, às 19:24h. Pés frios, um joelho magoado, terra no carro e água que não é chuva.
Água daquela que sai de olhos azuis e castanhos, águas que nunca se deveriam ter derramado. Mais uma vez nos casquilhos mas de um parque eólico, continuo a ver o que não quero, a sentir o que não gosto. A sentir que posso fazer mais, ser mais. Eu sou mais.
Eu sou.
Eu olho.
Eu vejo o azul dos faróis numa curva e sei exactamente de onde vens e para onde vais.
Não é preciso amar para ver o que está mal no mundo.
Não é preciso amar para ver o que vai no oceano dos teus olhos azuis.
Vai.
Foi.
Estiveste, Sentiste
Absorveste
Surreal
Para mim, banal, para ti, um bolo para quem se contenta com uma fatia do pão de há 3 dias.
Compreensão eu tenho,. percebem que eu não percebo que as pessoas se acomodam. Mas e se eu não me acomodar?
Jamais me acomodarei
Jamais serei banal
Deixa mais terra no carro, e que choca com a água mas vive. Sente, respira, sê amado, rasga a carne, rasga as folhas da vida que te fazem mal.


Não sou superior, supero-me.

quinta-feira, março 14, 2013

Long time together

Apesar de ecoar uma melodia triste e os pés frios incomodarem, pensa-se na mulher que se conheceu na noite anterior.
Mas que vida tem ela quando se tem horas sem fim para percorrer nesta vida que pode a qualquer momento, simplesmente, terminar?
Estaremos a perder o palco, como se de um navio a afundar se tratasse? Não, dos meus sentimentos, eu não abdico.
Qunado foi, estava fraco, estava a olhar com o olhar negro para mim, como quem quer falar mas não tem nada para dizer...
Para quê falar quando as circunstâncias parecem um foguete em direção à lua? Um frio de Agosto, de Julho, Junho... Mudanças, tantas mudanças e por dentro, era uma espiral onde eu descia e subia à procura do meu palco...

Não sou superior, supero-me.

sábado, março 02, 2013

Descansa no meu palco

Descansa que não saio do meu palco.
Onde me exibirei sempre para ti, seja a melodia qual for, desde que tu me observes, me absorvas, me ames e me tenha como única.
Num simples respirar ganha-se o mundo ou perde-se o mundo de alguém...
Dá-me de beber para matar as saudades do que nunca tive, dá-me à boca, bem perto respira e passa o ar para mim, com "One" do grande Bono.
Dá-me histórias para escrever sem fim, que eu nunca as terminarei e sempre terei uma palavra de amor para acrescentar..
Ah... não queres amor?
Respeitado, era um mundo perfeito se cada um se respeitasse, mas este é o meu mundo, o meu blog, aqui só eu quero ser respeitada, aqui a minha forma de pensar muda a tua mente, faz-te fazer coisas que nunca imaginaste...
No fim... um abraço, o do costume






Não sou superior, supero-me.