quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Podia ser um buddy, sei lá, só porque sim

Tão formoso que o rapaz é!!!!
Não sou superior, supero-me.

Do meu aniversário

No último post disse que andava cansada, o Martini, disse, e muito bem, que quero ser compreendida... Pensava que não era pedir muito, afinal é pedir demais, é uma utopia. Senti, nos últimos dias, "presa por ter cão e por não ter", coisa que abomino, dado que esclareço muito bem o que penso nem que seja rude, petulante e as merdas todas que me chamam. Questionaram a minha saúde física e quase, mesmo quase, conheceram o pouco que sei de Krav Magá... Falei com uma pessoa, alguém com uma visão holística que me diz que não tenho que tomar as dores dos outros, pois não... verdade? E odiar as injustiças que cometem comigo? Tenho que engolir? Tal como ninguém terá que gramar com as minhas mas que mo diga na cara como eu faço, ou também é pedir demais um pouco de frontalidade? Destes meus 37 anos, o melhor presente, dos meus dias, é o que a imagem mostra, alguém que me diz o quanto sou amada, o meu cão sempre atento a qualquer passo, mesmo assim, vou continuar a ser uma "louca", "apanhada do clima"... Apenas porque acho que existem coisas mal, às quais jamais me acomodarei. Relembro que quem se mete comigo tem a vida feita num perfeito inferno que nem Dante escreveria num ambiente renascentista. Não sou superior, supero-me.

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Cansada

O cansaço apoderou-se de mim, de uma forma, que nem eu soube como ele entrou e ficou.
Durmo demasiado, tenho a cabeça feita em água, o sol que por aqui se sente, é útil para secar a roupa.
Cansada, Muito, mesmo, cansada ao ponto de não o perceber.
Cansada de qualquer coisa que não seja prática.
Estou noutra dimensão.
Estou farta de não ser compreendida.

Não sou superior, supero-me.

terça-feira, fevereiro 05, 2013

Azar

Eu quis.
Quis muito.
Tanto que tantas vezes tentei.
Consegui.
Não gostei mas senti e não saiu de mim o que não é suposto cá estar

Não sou superior, supero-me.

domingo, fevereiro 03, 2013

Ode aos homens "meio-meio"

Os homens "meio-meio". são divertidos, amigos, trabalhadores, às vezes preguiçosos, podem ser bonitos mas nunca se pode afirmar que o seu coração é grande e rico em emoções. Porque da adrenalina de um carro desconhecido e da adrenalina de uma pessoa desconhecida, pode vir recompensa. O bem estar. Será um bem estar "assim-assim", nunca convicto.


Não sou superior, supero-me.