sexta-feira, 22 de março de 2013

Minha casa

A minha casa nunca poderia ser o coração de alguém. Não moro em ninguém, não sou de ninguém, sou do mundo e dos deuses gregos.

Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo (se fores uma besta quadrada, nem vale o esforço de escreveres).