quinta-feira, dezembro 27, 2012

Vá lá, ninguém morreu

Entre tantas coisas más, algumas menos más. Chorei com o casamento de alguém apenas conheço na net, continuei igual a mim: não gosta não come e diz o que queres, ouves muito pior aquilo que não gostas...
Sou a Pink, não mudo, recuso-me, porque me considero, justa, solidária e com o mau feitio mais original que já vi. Gosto de mim, fazer o quê.
adoptei o meu patudo canídeo , mudei de casa 2 vezes, tomei a decisão de engravidar o mais rápido possível, foi o primeiro ano em que não vi nenhum amigo morrer... Percebi que as minhas raízes algarvias se estão a dissipar, que o meu pai é um líder religioso antes de ser pai mas também aprendi que tenho imensas capacidades de entrar na cabeça de alguém... conheci uma pessoa muito especial, boa onda e depressa tudo ficou negro mas gostei de a conhecer e privar com ela (ele, o Tiago Ramos), sou cada vez mais amada...
Descobri que trocar nos vários grupos do face, é mesmo uma boa forma de poupar dinheiro e obter o que quero dando aquilo que já não uso...
Aproximei-me de alguém virtual e é fantástico... Venham outro.

Não sou superior, supero-me.

5 comentários:

  1. És aquela base miúda ;)

    Festa felizes

    ResponderEliminar
  2. Por onde andas amigo? Beijos grande

    ResponderEliminar
  3. 2012 doeu, coisas que para muitos podem parecer subtis, na minha vida pareceu um filme de terror... Mas enfim, de muito esforço e vontade de evoluir saíram boas coisas... Não tenho o hábito de fazer este balanço, mas agora fizeste-me pensar...
    O que doeu muito, agora só já dá comichão, mas ainda arde, quando muda o tempo, como as dores do reumático, mas ao nível do coração...
    Desejo-te um feliz 2013 ;)
    Beijoca

    ResponderEliminar
  4. Venúsia, amiga, para ti também... Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Falta a gente encontrar-se. Talvez este ano :)

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.