domingo, dezembro 16, 2012

A Quadra das renas, das prendas e o raio...



Mas o Natal, uma época que detesto, interessa para? Malta que mal se fala, junta-se, comem que nem uns ... sei lá, imenso desperdício de comida, cinismo a mais, dinheiro gasto em coisas que nada expressam... Damos quando queremos, quando alguém merece (o mundo não acha?, achamos nós)... Que se dane o Natal, pois o amor deve existir todo o ano e os mimos, que se podem transformar em um beijinho num sms, um elogio, um respeito pelas ideias alheias... Sejam amados, amem... durante 365 dias...


Não sou superior, supero-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.