sábado, outubro 29, 2011

Surreal, experimentem

OLHEM 10 SEGUNDOS PARA O NARIZ VERMELHO E DE SEGUIDA PARA UMA PAREDE BRANCA E PISQUEM OS OLHOS.


Não sou superior, supero-me.

terça-feira, outubro 25, 2011

De alguém que me admira

"Dias frios que me gelam a alma 
Que saudades do sol quente de verão 
Quente como teu corpo delineado por cetim 
Que saudades! 
Suave brisa de noites escaldantes percorrendo o meu corpo 
Como o toque suave da tua pele 
Que saudades doce verão! 
Mas podes demorar a vir 
Porque assim tu 
Estas sempre juntinho de mim! 

Dedicado a ti minha Deusa" 


Não sou superior, supero-me.

segunda-feira, outubro 24, 2011

Dos assuntos não falados

Estou a assistir a uma entrevista com Sónia Brazão. Não se lembra de nada. Chora e pronto, sempre dormiu mal...
Até aqui, tudo bem.
Mas há alguma coisa que impeça a mulher, ou quem fala com ela, que refira a tentativa de suicídio? mas o suicídio é tabú?
Mas quando é que se percebe que quando menos se fala de algo, menos ajuda as pessoas recebem? Estes braqueamentos das situações dão-me comichões, os tabus devem, quanto a mim, acabar, ou então não se criam soluções realmente eficazes.
Neste caso ninguém morreu mas aqueles vizinhos, e eu moro num prédio e já me pus a pensar se a vizinha de cima rebenta com a casa, estiveram em perigo de vida...
Ela não admitir que se quis matar, implica não ter ajuda para isso e ainda tem a pressão da lei.


Não sou superior, supero-me.

sábado, outubro 22, 2011

É este o mundo que temos? (o vídeo choca)

Como é possível atropelar uma criança e não parar'
Passar pela mesma criança a pé e ignorar? Como? Por ser na China? Por ser noutro local qualquer? Pobre criança, que nunca vai perceber o quão mau é o ser humano.




Não sou superior, supero-me.

Ser sexy para todo o sempre

O Papel da Ilusão na Nossa Vida«As ilusões», dizia-me o meu amigo, «talvez sejam em tão grande número quanto as relações dos homens entre si ou entre os homens e as coisas. E, quando a ilusão desaparece, ou seja, quando vemos o ser ou o facto tal como existe fora de nós, experimentamos um sentimento bizarro, metade dele complicada pela lástima da fantasia desaparecida, metade pela surpresa agradável diante da novidade, diante do facto real». 

Charles Baudelaire, in 'Pequenos Poemas em Prosa'











Não sou superior, supero-me.

sexta-feira, outubro 21, 2011

Pratico isto:

Enfim, do meu mau feitio que, bem espremido, tem coisas boas.
(diálogo entre um primo meu há uns anos no monte no aLgarve e como tínhamos muitos cães, existia um balde enorme com água para eles)

Pink - "Olha lá, vais parar de aquecer a mora em frente à cozinha onde está a minha avó doente!"
Primo- "Ai sim, senão fazes o quê?"
Pink - "Leva scom a água dos cães em cima"
Primo: "AH; AH; AH... SPLASH!"

Conta o lendário pai que o puto ia trabalhar e que quando o encontrou à entrada do monte disse: "Está a ver o que aquele mau feitio me fez?
O meu lendário pai, com muitas lendas minhas para contar, riu-se e perguntou: "Estavas à espera do quê?"

Telefone:
"Sim, quem fala?"
pink - "Com queria falar, por favor?"
"mas quem fala?"
Pink: "diga-me com quem queria falar"
"pum!" telefone desligado mas como o número apareceu
Pink: "Não lhe deram educação foi?"
PUM!

 -

Não sou superior, supero-me.

Para quê? (e Kadhafi)

Para quê estar afastada? Para fugir? deixar o meu blog pendurado porque não sei lidar com determinada situação?
Não sei, aprendo!
Estou contente com a morte de Kadhafi, sim, confesso que algumas mortes me deixam SATISFEITA. Concordem ou não. Porque os maus devem morrer e lentamente, o que não foi o caso mas sim, está morto! E eu de volta.

Não sou superior, supero-me.

quarta-feira, outubro 19, 2011

Estar afastada

Parece que preciso de uns dias fora da net.
Estou francamente triste com algo que se passa, ainda que virtualmente e, afastando-me, a coisa melhora.

Não sou superior, supero-me.

Eu gosto de ti







Não sou superior, supero-me.

terça-feira, outubro 18, 2011

A minha gaja

Porque ELA, faz aninhos.
Porque ela tem garra, sabe levantar-se das quedas, sabe educar, sabe amar e sabe amar-se. Não dá, agora, um passo em falso, porque aprendeu com os do passado. Porque ela escreve bem e não é escrava da blogosfera.
Porque ela, quando nos conhecemos, aqui, descobriu, tal como eu, que temos imensos gostos em comum e, pasmem, chegámos a postar, à mesma hora, a mesma música. Essa musica fica aqui dedicada a ti, minha gaja, conselheira e "mãe pulga", não te desejo dias felizes, desejo que transformes os mais cinzentos em radiosos, que nunca te faltem as forças para os teus 10 km matinais e acima de tudo, isto não é falso, não terás de mim uma desilusão, porque tal como eu não te torno uma inspiração minha, eu não serei uma tua, logo as ilusões não são criadas. Mas sim, conta comigo, dentro das minhas possibilidades...



Não sou superior, supero-me.

segunda-feira, outubro 17, 2011

Como rebentar com uma virilha em 2 segundos

Entras na farmácia, és o n.º 75 e o 64 está a ser calmamente atendido.
Esperas e começas a suar, o que indica que o "mister red" anda perto. És atendida, perguntas a se a unha, ou ausência, está com bom aspecto... Sim está.
Sais da farmácia a guardar notas na carteira e moedas da carteira de moedas e PUM!
A tua virilha esquerda, choca com aqueles pilares de ferro para evitar que os carros entrem farmácia adentro... O meu corpo gelou, coxeei até ao carro, onde chorei com as dores, EH PÁ QUE PUTAS DE DORES HORRÍVEIS... Tinha um compromisso profissional e depois de muito esforço para conduzir até lá, recebo um sms, a adiar... Vim para casa, a suar mais, branca e DORES, MUITAS DORES, despi-me toda, abri as pernas e gelo na virilha... Estou melhor mas manca... Irra!


Não sou superior, supero-me.

sábado, outubro 15, 2011

Mas...

Mas... Como vamos viver, ah e tal , mais manifestações e mais berros e menos dinheiro. Recuso-me a falar da crise desta forma. Ao fim do mês, como eu costumo dizer, usa-se a imaginação. há sempre algo que se pode cortar, aproveitar... É importante que os meus gatos tenham a sua comida, os seus medicamentos mas até eles são em segunda mão, sou contra a compra de animais. Se eu durante a semana vejo menos de uma hora de televisão, qual a lógica de ter por cabo? Desactivada querida Zon, mudei-me para uma casa no centro da "coisa", vou a pé a todo o lado, o gasoleo fica no depósito... Acredito na liberdade de nos expressarmos mas acredito mais ainda na possibilidade de conseguirmos ultrapassar isto.
Tem que existir uma forma, senão estamos perto do estado completo de anomia e um cenário social mau...

E POR FALAR EM CENÁRIOS
Tenho o Zeca e a Safira (as bestas felinas da casa) a miarem para a parede onde se avistou uma osga bébé... Oh os meus gatuchos finalmente me deram um motivo para lhes continuar a dar comida e cama. Ao meu lado uma vassoura, e cada comichão na perna, trau! Penso logo que é a p*** da osguinha. Peçonhenta, vil e é, sem dúvida o elemento intruso. Os meus gatos afinal são gatos sérios!

Não sou superior, supero-me.

Talvez um dia

Talvez, num dia qualquer, a uma hora qualquer o colapso chegue.
Talvez, pois, ao contrário do dinheiro, os afectos não estão nas mãos de Passos Coelho. Há muito que aqui disse que esta crise ia ter consequência desastrosas a nível social. Não há dinheiro para um jantar, um aniversário... Tudo actos sociais.
Mas existem ainda dentro de nós, sentimentos que se podem mostrar sem pagar ou receber, abraços dados cheios de boa vontade e ... gratuitos.
Porque às vezes era bem melhor receber um mimo, um sim a um convite, um abraço na hora certa, do que dinheiro. Afinal, vivemos mesmo para quê? Vocês não sei, eu sei do que vivo e do que osu feita, sei que existem coisas de que gosto que custam dinheiro, que as compro, se posso. Mas sei também o que é receber um elogio que não me alimenta, não me paga a renda mas põe-me bem com o Mundo...


Não sou superior, supero-me.

sexta-feira, outubro 14, 2011

Nem o amor-próprio se satisfaz

O amor por nós mesmos, que só a nós diz respeito, sente-se satisfeito quando as nossas verdadeiras necessidades ficam satisfeitas; mas o amor-próprio  que se pretende comparar com ele  nunca se sente satisfeito nem o poderia estar, porque esse sentimento, que nos leva a preferirmo-nos aos outros, também exige que os outros nos prefiram a eles próprios; ora isso é impossível. Eis como as paixões suaves e afectuosas têm origem no amor por si pró­prio, e como as paixões de ódio e de ira provêm do amor-próprio. Assim, o que torna o homem essencialmente bom é o facto de ter poucas necessidades e de pouco se comparar com os outros; o que o torna essencialmente mau é ter muitas necessidades e preo­cupar-se muito com a opinião. Sobre este princípio, é fácil ver como se podem dirigir - para o bem ou para o mal  todas as paixões das crianças e dos homens. É verdade que, como não podem viver sempre sós, dificilmente poderão viver sempre bons: e esta dificuldade aumentará, necessariamente, com o alargamento das suas relações; e é nisso, sobretudo, que os perigos da sociedade nos tornam a arte e os cuidados mais indispensáveis para prevenir  no coração humano a depravação originada pelas suas novas necessidades.
Jean-Jacques Rousseau, in 'Emílio'



Não sou superior, supero-me.

quarta-feira, outubro 12, 2011

GRANDE

Quem me dera que eu fosse o pó da estrada
Quem me dera que eu fosse o pó da estrada
E que os pés dos pobres me estivessem pisando...
Quem me dera que eu fosse os rios que correm
E que as lavadeiras estivessem à minha beira...
Quem me dera que eu fosse os choupos à margem do rio
E tivesse só o céu por cima e a água por baixo...
Quem me dera que eu fosse o burro do moleiro
E que ele me batesse e me estimasse...
Antes isso que ser o que atravessa a vida
Olhando para trás de si e tendo pena...

                        Alberto Caeiro

Não sou superior, supero-me.

terça-feira, outubro 11, 2011

sábado, outubro 08, 2011

Crescer, moldar, apaziguar

Há quem diga que teve uma infância feliz, sem doenças, pais felizes, que nunca passou necessidades...
Que bom, pois ainda bem que certas vida correm bem.
Agora, vejamos os outros casos: "Ah aquela/aquele anda num psicólogo, deve estar doida!", oh meus amigos, não importa o quão estamos fracos em determinada altura, importa sim que estamos preparados para todas as eventualidades.
Quem vai ao psicólogo, vai porque não consegue resolver um problema sozinho/a, teve a coragem e a humildade de pedir ajuda. Resultado: fica mais forte.
"Nunca tive um aciedente de carro", pois espero que essa pessoa goze bastante comigo quando me vir a passar a 40km/h na curva contra curva onde, a 120km/h embati numa árvore.
Não estou a dizer que é bom sofrer, estou a dizer que quem sofre, quem passa por situações FODIDAS, bem fodidas, bem tramadas e traumáticas e as ultrapassa, é, quanto a mim, um vencedor, um resistente. Quando a vida nos molda a uma redoma de defesas, não saímos da redoma e ao mínimo empurrão, é o fim do mundo.
Vou dar-vos um exemplo: Um médico que conheço um dia disse-me" Pink, se eu num mês não ganhar mais €5000, não sei viver"...
Pois muita gente sabe viver com €50 e fica contente por isso.  Que iria ser do médico se ganhasse €500?
eu tenho tido uma vida lixada, fui-me abaixo várias vezes e estou aqui, considero-me vitoriosa, lutei e aqui estou eu pronta para a próxima queda.

Não sou superior, supero-me.

Layla, adoro esta canção



Porque existem por aí muitas pessoas que põem outras de joelhos. Não concordo. Acredito que para amarmos temos que estar em igualdade: de coração aberto...

Não sou superior, supero-me.

sexta-feira, outubro 07, 2011

Baudelaire

"Existem em todo o homem, a todo o momento, duas postulações simultâneas, uma a Deus, outra a Satanás. A invocação a Deus, ou espiritualidade, é um desejo de elevar-se; aquela a Satanás, ou animalidade, é uma alegria de precipitar-se no abismo.
Charles BaudelaireCharles Baudelaire
Agora, uma adenda NOJENTA.
Não sou superior, supero-me.

SOCORRO!

Pink: "Então, explica-me como se calcula a área."
Puto: "Ó XXXXXX mas eu ainda não dei as dimensões!" (com um ar de medo)
Pink:"Mostra lá o livro"

"Blá, blá, blá, calcula a dimensão de cada lado do quadrado, blá, blá!...

Pink: "tu nunca vais dar as "dimensões"
Puto:"Achas? A professora não pode perguntar coisas que não deu2
Pink (a começar a aquecer): O que não sabes é o significado da palavra di-men-são"
Puto:"Ahhhhhhhhhhhh"
minutos depois...
Pink: "Que carro tem o teu pai?"
Puto: "o vw!"
Pink: "Sim mas qual?"
Puto: "O cinzento!"
Pink: "Então como é que eu sei qual é?"
puto: " a matrícula é RU"

Ai credo, disparate atrás de disparate, tanto disparate concentrado num corpinho só...

Não sou superior, supero-me.

outra vez

Desde Terça. febre, dores de cabeça... o padrão desde Junho... Isto é demais!!!

Não sou superior, supero-me.

Quem se lembra desta? E quem gosta?


Não sou superior, supero-me.

Depois de 3 ou 4 anos

Conheci este amigo, ao vivo e a cores,  quando nos "conhecemos", estava eu longe de ter um blog, e só há pouco soube do blog dele. Ele, que fez km´s para me conhecer, embora com febre e ranhosa, foi um bom jantar, com direito a caipirinha e pertinho de minha casa... se tivesse que conduzir não seria possível. Concluiu portanto que sou mais simpática ao vivo do que por telefone ou mail ou num qualquer forum da net... E que, pronto, a minha vida é PDL... Não há fotos, a conversa estava boa demais.
Um beijo a ti, amigo!


Não sou superior, supero-me.

quinta-feira, outubro 06, 2011

Cada vez mais

Cada vez mais gosto da sondagem do meu photoblog, quem será que vota na última opção? Os que não dão a cara e a esses eu dou isto:


Não sou superior, supero-me.

Taekwondo



Não sou superior, supero-me.

Adenda ao post anterior

O criador da Apple, e quanto a mim, um homem "muito à frente", genial, eu diria, Steve Jobs faleceu. Que descanse em paz e espero que não extrapolem mais as suas cirações como ontem critiquei um face lifting do I phone 4.
Não sou superior, supero-me.

quarta-feira, outubro 05, 2011

Novo I-Phone a minha critíca

Portanto, alguém me explica como um telefone pode ser a "bimby" das nossas vidas. Eu afinal não preciso da minha máquina digital, nem do pc e usar o mesmo para downloads? Disparate o meu.
Jogar?! Jogar meu Deus, o processador desta nova bomba das telecomunicações é 7 vezes mais rápido que o anterior.
Este "telefome", não obedece à voz, a "coisa" percebe mesmo o que o seu "sensei" quer.
Falaram no botão verde e vermelho? Não me recordo. Será que se lembram que é um telemóvel?
Sou absolutamente contra estas merdinhas todas no telefone, temos as nossas boas máquinas fotográficas, e, dizem os gajos que conheço, que os jogos é no sofá de comando na mão...


Não sou superior, supero-me.

Martini (post só para ele)

(Não sou graxista.)





Não sou superior, supero-me.

segunda-feira, outubro 03, 2011

do meu photoblog

Aqui à vossa direita está uma sondagem de opinião. Ando a pensar reabrir o photoblog, digam de vossa justiça. A QUEM VOTAR, É FAVOR DEIXAR AQUI UM COMENTÁRIO

Não sou superior, supero-me.

Roubada por uma unha

Ora bem meus amigos e inimigos, quando fiquei sem uma unha, fui transportada de ambulância para o Serviço de Saúde mais próxima que dista uns 13/15 km de minha casa.
Era só uma unha (ou a falta da mesma) portanto escusado era terem ido pela auto estrada.
Hoje recebo uma carta dos bombeiros a pedirem a módica quantia €23.10 pelo serviço.
E o meu pai considera barato e coitados dos homens que não têm dinheiro para o gasóleo. E eu? O meu carro é a gasóleo...
Não há condições.

NOTA IMPORTANTE: os treinos de Krav Magá vão recomeçar e mesmo sem unha na próxima semana vou a uma aula experimental de um senhor chamado Moisés, para quem está dentro do meio, saberá quem é. Incllinei-me para o jiu.jitsu mas é mesmo de Krav magá que gosto.



Não sou superior, supero-me.

domingo, outubro 02, 2011

Das coisinhas de raças e etnias

Nunca me ensinaram a ser racista ou a descriminar. A verdade é que o faço inconscientemente. Mas com consciência, os racistas, anti-semitistas, e tudo o mais, esses sim, deveriam ser queimados como eram as mulheres antigamente por estarem com o período.
Não há nada mais triste, na minha opinião, do que dizer-se que aquela etnia/religião/crença é a culpa de isto ou aquilo.
Todos, mas todos, temos culpa do mundo estar na desgraça que está, não existem heróis, não existe a perfeição da raça Ariana, da religião esta e aquela (para mim nenhuma serve, porque eu não acredito em Deus).
Não era mais interessante, haver um entendimento? Cada um faz o que quer, idolatra quem quer, o importante seria que não fosse incomodar quem está noutra.
Eu idolatro/admiro/gosto bastante:
  • Axl Rose
  • Grécia Antiga
  • Bono
  • Pedro Paixão
  • Marcelo Rebelo de Sousa (muito boa retórica e oratória, digo eu)
  • Pessoas cultas
  • Pessoas que se afirmam entre outras sem as esmagarem
  • Pessoas que não se deixam esmagar
  • Pessoas que sejam fiéis aos valores que dizem defender, como os juramentos dos profissionais de saúde, os agentes da autoridade, os padres, as freiras, oas pastores de qualquer religião... QUALQUER UM
  • Pessoas que se lembram da Carta dos Direitos Humanos
Não brinquemos com os sentimentos dos outros.

Não sou superior, supero-me.

No palco do prédio

Do cimo de um prédio, vejo os carros em movimento. Não é real. Ou é mesmo a realidade, aquela que se nega mas insiste em despir-nos a alma. Exacatmente como, em algum momento, nós nos sentimos, como em algum momento optámos pelo bem de outro. Em prol do nosso.
Serão certas as decisões?
Será correcto, atirar com as luvas para o chão do ringue e desistir?
Será correcto achar que não conseguimos?
O que interessa o que desejamos aos outros quando não vai ao encontro do que queremos para nós?
A realidade, um falso palco, bem ali debaixo do meu, cria-nos os pontos de interrogação. A realidade tirana, faz-nos cair, faz-nos ser politicamente correctos e dizer: "Tudo de bom".
Tudo de bom, sem dúvida mas no meu palco.
Na minha janela no topo do prédio.
No meu beijo, no meu peito, no meu suspiro e sorriso.
Testo-me no meu palco, onde apenas os Deuses do Olimpo me assistem e não julgam.
Lambo as feridas e os Deuses lambem as cicatrizes que se vão.
Que voltam com novas cores, sem a palavra desistir, apenas comigo. Eu. Só eu. Só eu sei o quê, o que valho, o que podia ser e não sou , o que queria fazer e não faço, mas farei porque eu desisto em muitos momentos, mas breves segundos depois, volto a lutar.
De peito cheio, de coração aberto, de braços abertos a um ser. Um. Porque se é apenas um, é importante e grandioso.
Não sou superior, supero-me.