domingo, outubro 02, 2011

Das coisinhas de raças e etnias

Nunca me ensinaram a ser racista ou a descriminar. A verdade é que o faço inconscientemente. Mas com consciência, os racistas, anti-semitistas, e tudo o mais, esses sim, deveriam ser queimados como eram as mulheres antigamente por estarem com o período.
Não há nada mais triste, na minha opinião, do que dizer-se que aquela etnia/religião/crença é a culpa de isto ou aquilo.
Todos, mas todos, temos culpa do mundo estar na desgraça que está, não existem heróis, não existe a perfeição da raça Ariana, da religião esta e aquela (para mim nenhuma serve, porque eu não acredito em Deus).
Não era mais interessante, haver um entendimento? Cada um faz o que quer, idolatra quem quer, o importante seria que não fosse incomodar quem está noutra.
Eu idolatro/admiro/gosto bastante:
  • Axl Rose
  • Grécia Antiga
  • Bono
  • Pedro Paixão
  • Marcelo Rebelo de Sousa (muito boa retórica e oratória, digo eu)
  • Pessoas cultas
  • Pessoas que se afirmam entre outras sem as esmagarem
  • Pessoas que não se deixam esmagar
  • Pessoas que sejam fiéis aos valores que dizem defender, como os juramentos dos profissionais de saúde, os agentes da autoridade, os padres, as freiras, oas pastores de qualquer religião... QUALQUER UM
  • Pessoas que se lembram da Carta dos Direitos Humanos
Não brinquemos com os sentimentos dos outros.

Não sou superior, supero-me.

5 comentários:

  1. Houvesse mais respeito e compreensão e o mundo seria um lugar bem melhor para se viver. Beijo

    ResponderEliminar
  2. PArece-me uma justa troca de idolatrações :)

    Pukas

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo.
    Cada um tem direito a defender o que achar que deve

    ResponderEliminar
  4. Sabias que no fundo os pretos são mais racistas que os brancos???
    É uma verdade miuda!
    Nós somos racistas até com a sanita na casa dos outros... as pessoas são estranhas, ponto final!

    HAJA COMPREENSÃO!

    ResponderEliminar
  5. Muito poderia eu dizer acerca disto.... muitas opiniões tenho.
    Sendo Católica, europeia, branca, morando em Africa, com um noivo muçulmano.
    A nossa libertade termina onde começa a do outro... será que ninguem se lembra disso?

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.