segunda-feira, agosto 01, 2011

M.E. Cardoso “À procura de nós”


“Só ontem, vi dois cães abandonados… Vi duas vezes o mesmo old english sheepdog a correr pela estrada fora, com a pressa doida de quem ainda acredita que vai alcançar o carro dos donos que o deixaram ali num ermo… De manhã, apareceu na esplanada onde eu vou, um velho sharpei de expressão esperançosa… Estudava a cara de toda a gente, como se quisesse ter a certeza de não se enganar na identificação dos donos, caso ali estivessem a esconder-se dele… Já não confiava que o reconhecessem…
Ele estava irreconhecível, de certeza, fora a coleira de onde tinham arrancado a morada. É injusto, mas são os cães que eram mais giros quando eram pequenos que metem mais dó… É o contraste entre a festa que lhe faziam quando eram cachorrinhos e a indiferença com que os abandonam quando se tornam cães.
É incompreensível que, numa época em que cada vez mais actividades humanas são proibidas, continuem impunes os abandonadores de animais. Talvez pudessem passar umas férias num canil da câmara? Como pode ser mais grave e mais castigado deitar um saco de lixo para a rua do que um animal dito de estimação?
A maneira como tratamos e protegemos os bichos selvagens tem vindo a melhorar. Não será altura de começar a tratar melhor os bichos - como os cães e os gatos - que gostam de nós e que ainda pensam que gostamos deles?”  

É bom que todos estejamos conscientes que o acto de abandonar um animal é um crime punido por lei. E denunciá-lo é um imperativo de consciência mas também legal, de quem presencie ou tenha conhecimento desses crimes. A crueldade e insensibilidade revelada por quem os pratica não deve ficar impune.
Os canis municipais e abrigos de animais recolhem por dia em média, mais de 400 cães e gatos das ruas, ou seja, a cada três minutos, um animal é abandonado.
Do total de cães que são capturados das ruas, apenas a uma minoria consegue uma nova oportunidade e são adoptados, a grande maioria são mortos nos canis.
Não compre…Adopte!!
Eu adoptei e sou contra comprar animais, porque estamos em plena crise e porque existem muitos como o da foto que, tal como os meus gatos que foram espancados e abandonados depois, querem apenas um lar. Querem? Têm direito, são os que nos amam incondicionalmente!


Crónica de Miguel Esteves Cardoso
EU, NÃO PAREÇO, EU SOU.

6 comentários:

  1. Eu adoptei.Há três anos contactei via email o site ADOPTA-ME e pedi-lhes que quando tivessem algum animal com as características que eu pretendia me enviassem um alerta,passada uma semana fui buscar a Francisca que foi entregue ao canil municipal pelos donos porque ela roía tudo....Hoje ainda roí ,telemoveis já comeu dois mas é super meiguinha e uma excelente companhia...e eu já não vivia sem ela.Gente que maltrata animais não presta!!!!

    ResponderEliminar
  2. Concordo Pink, tem o direito de ser amados protegidos e acarinhados.

    ResponderEliminar
  3. Todos cá em casa são adoptados, amo animais!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Eu adoptei uma cadelinha há 2 meses :) tem cerca de 9 meses e ainda faz algumas asneiras... Mas digo à minha mãe que tem de olhar para ela como olha para uma criança, precisa de ser ensinada sim, mas tb precisa de brincar muito enquanto é pequenina!!

    ResponderEliminar
  5. É é por isso que eu gosto de ti.
    Porque tens um coraçaõ grande.

    ResponderEliminar
  6. Também sou contra a compra de animais quando existem tantos a precisar de donos. Tenho 2 gatos, um veio da rua e outro de um gatil. E sou-te muito honesta, acho que a merda de gente que faz isso devia ser espancada.

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.