quarta-feira, agosto 10, 2011

masquediabo

ONDE ANDAS PÁ?


EU, NÃO PAREÇO, EU SOU.

2 comentários:

  1. Nem eu sei por onde ando.
    Acho que por ruas escuras.
    Que se enfiam no negro.
    Uma espécie de ciclo, que se renova de tempos a tempos.
    Perco-me por aí... pelo passado, pelas abstractas memorias.
    Cheiros, sons, sensações...

    ResponderEliminar

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.