quinta-feira, dezembro 16, 2010

Perceber e aceitar sem sentir

Ontem aconteceu-me algo muito... forte. Implicou outra pessoa. Uma pessoa que nunca me viu, que me sente como alguém com quem partilha uns telefonemas, uns risos e uma série de "tralhos" no meio de uma possibilidade de me conhecer pessoalmente.
Ontem, essa pessoa, ficou "f*****" (palavras dessa pessoa) porque não sabia o que dizia... Pensou dizer algo banal e não algo que foi drama.
A TI, que sabes que és tu e que vais ler isto, só tenho que agradecer, a tua tentativa de compreensão, o facto de teres uma voz de choro, significou estares na minha pele, não num sentido literal mas em mim, no que sinto e no que digo. Era muito bom que todas as pessoas tentassem e abrissem os olhos como tu.
NÃO SOU SUPERIOR, SUPERO-ME!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Odeio as almas estreitas, sem bálsamo e sem veneno, feitas sem nada de bondade e sem nada de maldade. Nietzsche
Debita aqui algum bálsamo.